PROPOSTAS
Atualmente existem 185 propostas
OPRAM538 - Veiculo de Busca Salvamento e Resgate em Montanha
Área Temática
Proteção Civil
Âmbito
Municipal
Município(s)
Calheta
Orçamento (€)
99.640,00
4344 Votos
Proteção Civil
A anteproposta ora apresentada assenta na necessidade de um veículo todo terreno para salvamento e resgate em montanha, entre outras emergências, com a valência de transporte de vítimas deitadas. O veículo será modificado para incorporar os componentes de uma “ambulância” nomeadamente uma maca, mantendo as propriedades dinâmicas do veículo base, reunindo tecnologia de ponta e capacidade de resposta para intervir nas operações de salvamento e resgate mais exigentes, ultrapassando obstáculos e garantindo o acesso do pessoal de emergência - BOMBEIROS – onde é necessário – de forma rápida e segura. Este veículo de resgate, para além do conforto que irá oferecer ao sinistrado e pessoal de emergência (bombeiros e equipa médica) é perfeito para todos os tipos de situações onde uma ambulância normal simplesmente não poderia ir por causa do tamanho, terreno ou clima. A área de intervenção do Corpo de Bombeiros da Calheta é caraterizada por uma orografia bastante acidentada e montanhosa, em que na maioria dos percursos para realizar o resgate, faz-se por estradas florestais de sinuosidade imensa o que impossibilita o envio de ambulância e de veículos não preparados para este tipo de terreno. Pelo supracitado, a presente anteproposta identifica a área de atuação de salvamento e resgate em montanha como aquela que necessita de uma atenção redobrada e projeta como objetivo a aquisição de um veículo todo terreno para fazer face à acentuada orografia, dotado ainda com comunicações (rede SIRESP e telefones por satélite) e demais equipamentos de proteção individual e de resgate, imprescindíveis à prontidão e à melhoria das condições e da qualidade do serviço prestado à vítima e dos requisitos essenciais de operacionalidade, segurança, proteção e integridade dos bombeiros afetos a esta tipologia de serviço. Pela sua natureza e âmbito geográfico de intervenção, e tendo em conta o crescente índice de utilização dos percursos pedestres/levadas, nomeadamente; Vinte e cinco Fontes, Levada do Risco, Rocha Vermelha, etc...fruto do crescimento turístico que se tem revelado na Região Autónoma da Madeira (RAM), importa dar uma resposta operacional mais rápida, mais eficaz e eficiente às solicitações cada vez mais frequentes. Cabe às instituições que operam neste domínio a criação de instrumentos e a obtenção de ferramentas operacionais que as capacitem para a prontidão e profissionalismo do socorro prestado. Por tal, é de importância extrema a obtenção do referido veículo todo-o-terreno, que contemple em si a valência do transporte dos bombeiros, dos equipamentos e acima de tudo, o conforto e estabilidade das vítimas.
OPRAM403 - Aquisição de uma Carrinha de 9 lugares para Apoio ao Centro Comunitário Regional (C.C.R.)
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
34.000,00
1095 Votos
Inclusão Social
O Centro Comunitário Regional nasceu da necessidade de criar um recinto polivalente onde a população da Região Autónoma da Madeira, possa desenvolver atividades lúdicas, pedagógicas, culturais e intergeracionais. Tem como objetivos gerais: - Criar atividades socioculturais para pessoas de ambos os sexos de todas as idades. Criar encontros intergeracionais entre Idosos/Jovens e Crianças. O C.C.R. foi inaugurado em 20 de Junho de 2020, tendo já neste momento inscritos, 294 Utentes. O C.C.R., tem necessidade de uma viatura de nove lugares, para transportar utentes de uma freguesia para a outra, podendo realizar intercâmbios regionais entre as mesmas. Além disso, existem as aulas de culinária que a comida depois de confecionada reverte para os próprios utentes, onde por vezes é necessária a entrega ao domicilio. Também, por vezes há necessidade de transportar utentes das suas próprias casas ao CCR, por estas não poderem andar de transportes públicos.
OPRAM607 - Explorar a Madeira com o Desporto Escolar
Área Temática
Educação
Âmbito
Supra Municipal
Município(s)
Calheta , Câmara de Lobos , Funchal , Machico , Ponta do Sol , Porto Moniz , Porto Santo , Ribeira Brava , Santa Cruz , Santana , São Vicente
Orçamento (€)
150.000,00
962 Votos
Educação
A missão do Desporto Escolar visa criar condições para que todos os alunos integrados no sistema educativo da Região Autónoma da Madeira pratiquem atividades físicas e desportivas de forma regular, permitindo uma formação integral, com aquisição de hábitos de vida saudáveis e combatendo o insucesso e o abandono escolar. A Direção de Serviços do Desporto Escolar (DSDE) tem um Plano Anual de Atividades extenso, amplo e inclusivo, no qual são dinamizados em média 85 eventos por ano letivo, que envolvem cerca de 21000 participações dos alunos dos diferentes níveis de ensino. A conclusão de um questionário sobre as atividades do Desporto Escolar aplicado no ano letivo 2019-2020, a todos os alunos dos 2.º, 3.º ciclos e secundário, demonstrou que a maioria dos alunos revela muito interesse pelas atividades realizadas ao ar livre. Em conformidade, a nossa experiência empírica, do contato direto com os professores e alunos, permite-nos perceber que existe uma predisposição cada vez maior para as atividades lúdico-desportivas realizadas no exterior. Por outro lado, vários estudos indicam que o sedentarismo na população jovem está a aumentar, bem como as doenças associadas a um estilo de vida pouco ativo. A era digital veio promover comportamentos sedentários em adultos e em crianças cada vez mais novas, fixando-as aos espaços onde estão as novas tecnologias. O projeto do Desporto Escolar pretende contrariar esta tendência, combatendo o sedentarismo e, simultaneamente, promovendo a exploração da riqueza da fauna e flora da Madeira. Esta ilha com uma beleza exuberante, tem condições únicas e um potencial elevadíssimo para atividades desportivas, diversificadas e apelativas, desde o mar à montanha. No próximo quadriénio pretendemos evoluir, modernizar e inovar, sendo fulcral a aquisição de material diversificado e específico para proporcionar atividades desportivas com qualidade, que garantam maior capacidade de resposta e que correspondam às tendências atuais e às expetativas dos alunos. Neste âmbito subdividimos os nossos objetivos em três grandes valências: - Explorar as atividades “outdoor” nos espaços urbanos e rentabilizar infraestruturas; - Dinamizar atividades náuticas e aquáticas e fomentar a literacia marítima; - Realizar atividades de exploração da natureza e promover a educação ambiental. A) Explorar as atividades outdoor nos espaços urbanos e rentabilizar infraestruturas: No panorama atual torna-se urgente implementar medidas e iniciativas que promovam atividades desportivas diversificadas e que contribuam positivamente para os alunos. Verificamos que existe uma tendência cada vez maior dos jovens para a prática de atividades ao ar livre, inclusivamente na organização de atividades tradicionais notamos um interesse crescente dos alunos pelos desportos coletivos e individuais outdoor. Por outro lado, também temos assistido a um investimento dos municípios da R.A.M. na criação de espaços e infraestruturas públicas que promovam a prática de desportos e de atividade física ao ar livre. Com a exploração de atividades outdoor visamos desenvolver atividades lúdico-desportivas que correspondam aos reais interesses dos alunos, rentabilizando os espaços e as infraestruturas urbanas que existem na região. Assim, nesta valência apostamos nas modalidades radicais e nas variantes das modalidades convencionais, por exemplo, o Skate, a Orientação Urbana, o Basquetebol 3x3/Street Basket, Desporto de Praia, BTT, Patinagem, Atividades Rítmicas Expressivas, Basebol, Laser Run, e outras Multiatividades Desportivas. B) Dinamizar atividades náuticas e aquáticas e fomentar a literacia marítima: A Madeira, pelas suas características insulares, apresenta condições ímpares para a realização de atividades de mar, desde as condições climatéricas, aos recursos naturais e outras infraestruturas. Torna-se pertinente aproveitar a oportunidade crucial de promover a cidadania, o exercício físico e os estilos de vida saudáveis, onde o desporto e o ambiente se conjugam numa simbiose perfeita. Nesta valência temos como propósito a dinamização de diversas atividades náuticas e aquáticas, como a Canoagem, Stand-Up Paddle, Natação de Água Abertas, Windsurf, Snorkeling e Multiatividades Aquáticas de carater lúdico, de modo a usufruir da versatilidade e beleza singular que a natureza da ilha oferece. O contacto direto com o mar aliado à motivação que a prática destas modalidades proporciona, favorece a sensibilização da população-alvo para a necessidade de respeitar e preservar o espaço marítimo, a biodiversidade e a qualidade da água. Assim, pretendemos que as atividades desenvolvidas apresentem um carater pedagógico e formativo, sendo integradas num programa de literacia marítima adequado a cada ciclo de ensino. C) Realizar atividades de exploração da natureza e promover a educação ambiental: A atividade física realizada ao ar livre não é apenas uma experiência multissensorial que expõe os indivíduos à luz do sol e ao ar fresco, “os ambientes verdes convidam os indivíduos a serem ativos, conscientes, a interagirem com os outros e a desenvolverem conexões com a natureza” (Araújo e Teixeira, 2017). Com a exploração desta valência apostamos na realização de atividades nos espaços florestais, desenvolvendo atividades combinadas, com articulação de conteúdos multidisciplinares e com um forte cariz formativo no que concerne à educação ambiental, tais como as Corridas de Aventura, o Explorar a Madeira, etc. Pretendemos também, dinamizar Atividades Radicais (Slide, Rappel, Tirolesa, Orientação) que permitem desenvolver competências e habilidades motoras pouco exploradas em contexto escolar, mas que são extremamente apelativas para os alunos. Este objetivo está de acordo com as metas do Programa do XIII Governo da Região Autónoma da Madeira 2019-2023, que visam a promoção da “utilização lúdica dos espaços florestais, mediante a criação de condições para o usufruto dos espaços naturais por parte dos cidadãos”, bem como, o incentivo à prática de “atividades lúdico-desportivas em meio natural, (…) sempre no respeito pelos princípios de sustentabilidade e conservação da natureza.” Objetivo geral: - Contribuir e proporcionar a todas as crianças e jovens em idade escolar da Região Autónoma da Madeira (R.A.M.) um leque variado de atividades desportivas ao ar livre. Objetivos específicos: - Aumentar a taxa de participação no Desporto Escolar, bem como melhorar a qualidade do Plano Anual de Atividades; - Garantir uma oferta desportiva escolar diversificada e enriquecedora, através da realização de atividades de carater lúdico-desportivo em meio ambiental, urbano e aquático, aproveitando os recursos naturais da ilha; - Dinamizar atividades desportivas de aventura e de exploração da natureza; - Sensibilizar para a educação ambiental e estimular o recurso às boas práticas ambientais; - Desenvolver atividades aquáticas, trabalhando competências associadas à prática dos desportos náuticos, à segurança e à adaptação ao meio aquático; - Fomentar a literacia marítima, promovendo o gosto pelas atividades de mar; - Rentabilizar infraestruturas através da organização de atividades desportivas apelativas e com qualidade, que promovam o gosto pela atividade física e pelos hábitos de vida saudáveis; - Criar atividades lúdico-desportivas inclusivas, sustentadas em valores éticos e morais que contribuam para uma sociedade mais solidária, consciente e responsável. Público-Alvo: O projeto do Desporto Escolar envolve todos os alunos da R.A.M., desenvolvendo o seu plano de ação em três vertentes, de acordo com a orgânica da Direção de Serviços do Desporto Escolar, inserida na Direção Regional de Educação (Decreto Legislativo Regional n.º 7/98/M): - Pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico; - Escolas dos 2.º, 3.º ciclos e secundário; - Alunos/utentes portadores de deficiência e com necessidades educativas especiais. Local para implementação: Este projeto visa a organização de atividades lúdico-desportivas na zona florestal, na zona marítima e nas zonas urbanas da Madeira e do Porto Santo, tirando proveito das potencialidades da região.
OPRAM509 - CONCEÇÃO E CONSTRUÇÃO DO MINI ZOO DA QUINTA PEDAGÓGICA DOS PRAZERES
Área Temática
Agricultura e Desenvolvimento Rural
Âmbito
Supra Municipal
Município(s)
Calheta , Câmara de Lobos , Funchal , Machico , Ponta do Sol , Porto Moniz , Porto Santo , Ribeira Brava , Santa Cruz , Santana , São Vicente
Orçamento (€)
1.000.000,00
904 Votos
Agricultura e Desenvolvimento Rural
Requalificação da Quinta Pedagógica dos Prazeres - Criação do: “Mini Zoo da Quinta Pedagógica dos Prazeres”. Quinta Pedagógica dos Prazeres! Quem é que não conhece ou não esteve neste espaço formidável e memorável? Pensamos, quase ninguém! Atrevemo-nos a dizer que se não a visitaram, já ouviram falar dela. Para aqueles que por lá passam(ram), certamente: lembram-se dos passeios domingueiros que tinham/têm em família e que tradicionalmente acabava/acaba numa visita pelo espaço da quinta, para simplesmente ver os animais, apreciar as plantas, ou comer um gelado, ou beber um chá ou uma cidra. A Quinta Pedagógica dos Prazeres, fica situada numa freguesia rural e pacata, com cerca de 13 km2 de área, com uma população de 704 habitantes (Censos 2011). Dista da sede de concelho 7,6 km e do Funchal 45 km. Esta quinta (reconhecida como interesse público), foi criada e implementada em 1 de outubro de 2000, pelo pároco local, nuns terrenos vizinhos à igreja e casa paroquial. Criou uma nova centralidade, um pólo de desenvolvimento, na periferia rural de um território insular e ultraperiférico como é a Região Autónoma da Madeira. A Quinta Pedagógica dos Prazeres, que funciona em parceria com várias instituições, mereceu da Assembleia Legislativa da Madeira, em 21 de outubro de 2015, um voto de louvor enaltecendo o trabalho realizado e a sua liderança. Os senhores deputados foram unânimes em reconhecer o papel pedagógico e de valorização dos produtos regionais desempenhado por aquela estrutura ao longo dos anos, e as diversas vertentes de que se reveste, desde a agropecuária à galeria de arte e à coleção de exemplares de interesse geológico no Museu e Herbário Padre Manuel de Nóbrega, com um sentido pedagógico muito forte e preponderante. Foram aprovados pela Assembleia Legislativa da Madeira, em 14 de maio de 2020, votos de louvor pelos vinte anos da Quinta Pedagógica dos Prazeres. Em 27 de Setembro de 2020, foi atribuída pelo Governo Regional da Madeira, a Medalha em Ouro de Mérito Turístico, coincidindo com os vinte anos da Quinta Pedagógica dos Prazeres; A Quinta Pedagógica dos Prazeres marca presença na Feira Nacional de Agricultura, já com 30 produtos premiados, um reconhecimento do trabalho desenvolvido e, acima de tudo, dando visibilidade e projetando a Região Autónoma da Madeira. Logo, este espaço tem uma extrema importância quer na freguesia, quer do concelho, ou mesmo da Região Autónoma da Madeira, pois tem muitas valências e um carater peculiar a vários níveis, pois dá respostas e desenvolvimento - Social, Económico, Cultural, Educacional, Ambiental, e principalmente desenvolvimento rural: Social: - Criação e desenvolvimento sustentado da economia familiar. - Criação e desenvolvimento da economia local. - Incentivo e valorização do meio rural e combate à desertificação local/rural. - Integração social de indivíduos portadores de deficiência através de postos de trabalho. - Combate ao isolamento e solidão dos idosos. Económico: Este espaço, serve(irá) e possibilita(rá) a concretização de vários eventos, com várias visitas e um grande fluxo de pessoas (principalmente jovens e idosos), quer residentes na região, quer nacionais, quer internacionais. Isto, implica sempre deslocações de pessoas, logo, fará estimular o comércio local, a hotelaria ou alojamento local, assim, aumentando a economia local. Tem também o grande objetivo a Economia Solidária (pioneiro no país), que tem como objetivo criar atividades económicas sustentáveis, geridas na base da cooperação, estabelecendo relações sociais emancipadoras e equitativas. Esta perspetiva é espelhada através de atividades concretas, nomeadamente na transformação e comercialização de produtos, cuja matéria-prima é adquirida aos produtores locais a um preço justo; na produção de sidra e de vinagres, permitindo resolver problemas de escoamento do pêro regional e na transformação dos produtos agrícolas, executada por mão-de-obra local. Ambiental: A nível ambiental é sempre importante garantir e preservar o meio ambiente, tendo sempre presente bons e exemplares comportamentos para com a fauna e flora, isto é, serem amigos dos animais e das plantas, bem como do meio envolvente, ribeiras, praias, levadas, veredas, etc. Garante a sensibilização para a natureza, pois, a Quinta Pedagógica apresenta um espaço com animais, plantas e ervas aromáticas aberto ao público em geral. Além disso, incide em questões ligadas à preservação de animais e de árvores de fruto regionais em risco de extinção e ao incentivo à conservação de variedades tradicionais. Educacional: São várias as instituições e escolas, que, semanalmente frequentam este espaço, com centenas de alunos, oriundos dos vários concelhos da Madeira. Tendo como propósito dar a conhecer os animais ali existentes e de como são tratados e da sua importância no ecossistema e natureza. Também há um compromisso e ação educacional na sociedade, ancorado e integrado na filosofia e práticas pedagógicas da Quinta Pedagógica dos Prazeres, o Serviço Educativo promove, na essência, o reconhecimento do valor da Natureza e estímulo do gosto pelo contacto com o Meio Natural do campo, numa forte proximidade com os animais e com as plantas/árvores e a todas as sensações, ensinamentos e tradições que o meio natural e rural transportam, com os seus valores, experiências e sabedoria de vida, promovendo-se a literacia ambiental. Ancorado na identidade local, o potencial educativo da Quinta Pedagógica dos Prazeres efetiva-se por via de um conjunto de atividades pedagógicas, em vários campos: botânica, geologia, pecuária, agricultura, tradição/etnografia e cultura popular (usos e costumes), literacia ambiental (sensibilização e educação ambiental) e arte erudita/contemporânea (educação e reinvenção cultural). Cultural: No campo cultural: realiza um trabalho na recuperação de tradições ligadas à ruralidade. Torna a arte acessível, tanto aos visitantes como à população local, através do Herbário do Pe. Nóbrega e da Galeria de Arte dos Prazeres, em que muitas vezes os artistas nacionais e internacionais são desafiados a se envolver com a comunidade local. Social: Esta instituição emprega 6 colaboradores a tempo inteiro e envolve cerca de 30 voluntários, que nos seus tempos livres, ajudam em várias tarefas da Quinta Pedagógica dos Prazeres. Esta infraestrutura faz com haja uma envolvência e uma interajuda de pessoas desde tenra idade, até aos mais idosos e com vários estratos sociais, pois os mais novos encaram como um espaço de aprendizagem e captação de conhecimento, enquanto os mais idosos encaram como uma partilha de conhecimento, transmissão de saberes, ensinamentos que aprenderam com os antepassados e com os anos de vida e de real trabalho. Qual é a ideia agora? Continuar a desenvolver ainda melhor a evolução sociocultural, valorização do meio rural, de estímulo à economia local (economia solidária ou social que visa o retorno para a comunidade onde se insere) e combate à desertificação. Mas, atendendo à sua grande afluência de pessoas, cerca de 25 000 pessoas/ano, dos quais 60% jovens, 10% meia idade, e 30% idosos e principalmente devido, ao seu desgaste e de certa forma desatualizada nas condições para os animais que ali vivem, bem como percursos ou circuitos para visitantes deteriorados e com limitação de acesso a pessoas com mobilidade reduzida. A ideia será criar o “Mini Zoo da Quinta Pedagógica dos Prazeres”, com o intuito de dar melhores condições de habitabilidade e saúde aos animais, criar circuitos pedonais para os visitantes mais apelativos e integrando passadiços para pessoas com mobilidade reduzida, e que possibilitem uma melhor apreciação dos animais e plantas ali “residentes”, distribuídas de forma organizada e enquadrada no espaço. A inovação e a diferenciação do espaço fidelizam visitantes e gerações, para que se torne uma marca e um padrão da vivencia das crianças e da população, assim será de extrema importância modernizar e capacitar de novas infraestruturas o espaço da Quinta Pedagógica, transformando-a em Mini Zoo da Quinta Pedagógica e passando a uma das bandeiras principais da freguesia. Por outo lado os novos desafios ambientais exigem mudanças. A transformação da Quinta Pedagógica, será inevitável para um futuro com sucesso. Queremos estar na vanguarda, propondo o acesso aos melhores espaços naturais e animal regional, para que possa ser mais competitivo e pedagógico. Aquele espaço nos Prazeres, naquele espaço rural, claro que sim, são marcantes para as várias gerações que o já visitaram e que visitarão. Todos os dias procuraremos dar o nosso melhor, ir mais longe e impactar positivamente na vida das pessoas e do planeta! Posto isto, temos a agradecer a possibilidade de expor a nossa ideia e candidatura ao OPRAM, certos de que a tomarão em consideração, com o sentido de melhorar as condições para os nossos animais e motivação para jovens e idosos visitarem este que será um belo espaço natural e “pensa” no Ambiente. Contamos com todos! Atenciosamente os proponentes, Luís Duarte e Décio Silva Siga-nos no Facebook. Mini Zoo da Quinta Pedagógica dos Prazeres - Página inicial | Facebook https://www.facebook.com/Mini-Zoo-da-Quinta-Pedag%C3%B3gica-dos-Prazeres-111277151490771 CONTATOS CANDIDATURA OPRAM: Mini Zoo da Quinta Pedagógica dos Prazeres Morada: Sítio da Igreja 9370-603 Prazeres Calheta Telem: 96 5013 267 ou 96 5070 004 Correio eletrónico: minizoo_quintapedagogicadosprazeres@hotmail.com
OPRAM595 - Carrinha para Associação para pessoas com AUTISMO "OS Grandes Azuis"
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
47.300,00
902 Votos
Inclusão Social
A Associação Para Pessoas com Autismo – “Os Grandes Azuis”, sita à Rua Dr. Fernando Rebelo, Complexo Habitacional e Comercial de Santo Amaro Bloco II Loja 3, tem por missão prestar serviços às pessoas com Perturbações do Espectro do Autismo (PEA), bem como perturbações e atraso no desenvolvimento, contemplando as mais diversas faixas etárias e ainda às pessoas com elas significativamente relacionadas, promovendo a defesa e o exercício dos respetivos direitos e a aquisição e melhoria da sua qualidade de vida. Contamos com cinco anos de atividade, durante esse período o número de utentes vem aumentando exponencialmente sendo que atualmente prestamos apoio a cerca de 100 utentes, utentes esses com patologias do desenvolvimento, priorizando o detentor da Perturbação do espectro do autismo. A associação realiza Campos de férias por forma a ocupar da melhor forma as atividades letivas dos utentes, no entanto depara-se constantemente que a ausência de transporte o que minimiza a possibilidade de dar a conhecer aos nossos utentes novas experiências. A aquisição de uma carrinha para transportar utentes de zonas menos acessíveis e famílias sem transporte próprio. É sabido que usar transportes públicos com esta população é extremamente complicado, é um impedimento para muitas famílias beneficiarem das terapias. A carrinha também servirá para o transporte da equipa e devidos materiais para sessões em domicílio de utentes cuja deslocação seja muito problemática. Servirá também para a deslocação da equipa e do material para ações de sensibilização e formações, nas escolas e outras instituições que nos solicite.
OPRAM543 - Construção de bancada no Campo de Futebol do Porto da Cruz
Área Temática
Desporto
Âmbito
Supra Municipal
Município(s)
Machico , Santana
Orçamento (€)
1.000.000,00
888 Votos
Desporto
É talvez o único campo de futebol da Ilha da Madeira sem uma bancada para o público. Semanalmente, quem quer assistir a um jogo de futebol no Porto da Cruz tem de aguentar, inexplicavelmente, quase duas horas em pé. Inaugurado em 2007, sem se compreender porque não tem uma bancada logo desde o início da obra, nem porque, ano após ano, todos os apelos fossem ignorados para que fosse construída, é agora, confiando neste OPRAM e na vontade do povo, em particular, das centenas de pessoas que frequentam o Campo de Futebol, sócios, encarregados de educação, atletas e demais agentes desportivos, residentes no concelho de Santana, com atletas das freguesias de São Jorge, Santana, Faial e São Roque do Faial e, residentes no Concelho de Machico, freguesia de Machico e Porto da Cruz. A bancada proposta e a construção de uma cobertura na zona ao lado do bar, permitem garantir conforto a quem assiste e potenciar um campo de futebol para uma dimensão que permite a realização de eventos desportivos de interesse supramunicipal e regional.
OPRAM400 - GINÁSTICA INCLUSIVA
Área Temática
Desporto
Âmbito
Supra Municipal
Município(s)
Câmara de Lobos , Funchal
Orçamento (€)
95.000,00
796 Votos
Desporto
Nas sociedades de hoje é cada vez mais evidente uma crescente diminuição do esforço físico em consequência de diversos fatores dos quais se destacam, estilos de vida alterados, maus hábitos alimentares e sedentarismo. Este último assume-se cada vez mais como um fator de risco para a saúde, sendo importante promover junto da população portuguesa um estilo de vida saudável através da prática de atividade física sistematizada. Neste sentido, o desporto torna-se cada vez mais matéria de interesse público, exigindo a Constituição Portuguesa uma participação pública no desporto, onde a presença do Estado assume especial importância para o desenvolvimento desportivo do país, destacando neste contexto as alíneas 1 e 2, do art. 79º da Constituição da República Portuguesa (1976), relativo ao direito à cultura física e ao desporto, que referem: “1- Todos têm direito à cultura física e ao desporto. 2- Incumbe ao estado, em colaboração com as escolas e as associações e coletividades desportivas, promover, estimular, orientar e apoiar a prática e a difusão da cultura física e do desporto, bem como prevenir a violência no desporto.” Tendo em conta estas premissas, os proponentes vêm apresentar o Projeto GINÁSTICA INCLUSIVA. Este projeto integra-se na disciplina Gímnica de Ginástica Para Todos (GPT) e esta é conceituada de diferentes formas, sendo uma modalidade configurada de “uma variedade de atividades adequadas para todos os géneros, grupos etários, habilidades e experiências culturais (Federação Internacional de Ginástica, 2009). Além disso, as atividades de GPT “contribuem para a saúde pessoal, condicionamento e bem-estar físico, social, intelectual e psicológico (FIG,2009). O projeto GINÁSTICA INCLUSIVA visa incrementar a prática da Ginástica, em meios desfavorecidos, promovendo a integração social e desportiva dos seus praticantes. O seu público-alvo são crianças e jovens com carências económicas, provenientes dos bairros sociais. Propomos que este projeto seja implementado em 24 meses, ou seja 2 épocas desportivas. Constatamos que existe um conjunto alargado de crianças e jovens, que pela sua condição pessoal e/ou social, se vêm impedidos de participar nas atividades organizadas pela Associação de Ginástica da Madeira (AGIM). Considerando que a atual debilidade financeira do país e da região veio aumentar em larga escala as dificuldades económicas das famílias, os proponentes decidiram criar um projeto de integração social através do desporto, que tem como objeto principal permitir a crianças e jovens com carências económicas a sua participação de forma ativa na Ginástica. Salientamos que a importância deste projeto reside também na possibilidade de envolver os Encarregados de Educação e integrá-los de forma lúdica nas atividades. Permite também, que se sensibilizem os praticantes para a realização de atividades fora das atividades curriculares, sensibilizando todos os intervenientes para a aquisição de estilos de vida saudáveis. Neste sentido e tendo a AGIM sede no Bairro Social de Santo Amaro, freguesia de Santo António do concelho do Funchal pretendemos implementar o projeto no bairro em parceria com a Associação de Desenvolvimento Comunitário do Funchal – Garota do Calhau, assim como, desenvolver o mesmo no concelho de Câmara de Lobos, nos Bairros da Palmeira, Espírito Santo e Nova Cidade, em parceria com o Clube Desportivo Garachico com sede no concelho de Câmara de Lobos. Propomos ainda o alargamento do projeto a Leste, nomeadamente as crianças dos Loteamentos das Feiteirinhas, da freguesia do Caniçal, concelho de Machico em parceira com o Grupo de Jovens Caniçalenses. Ou seja, a AGIM como entidade máxima da Ginástica na Região Autónoma da Madeira deverá ser a dinamizadora do projeto, estabelecendo parcerias com os clubes locais, de forma a rentabilizar recursos humanos e financeiros. Somos da opinião que há todo o interesse em criar parcerias de forma a promover o desporto, a sociabilização, hábitos de vida saudáveis, utilizando os recursos humanos disponíveis e todo o seu know-how de décadas de trabalho no terreno. Assim, propomos que no âmbito deste projeto sejam abrangidas cerca de 150-200 crianças e jovens, com idades compreendidas entre os 5 e 15 anos, acima mencionados. As atividades irão desenvolver-se nos espaços exteriores e centros comunitários dos bairros envolvidos, o Pavilhão do Caniçal e o Pavilhão Municipal de Câmara de Lobos. A AGIM têm recursos humanos e espaços desportivos (acima mencionados) para promover este tipo de iniciativas, sendo necessário equipar os espaços com material gímnico de forma a dar resposta a este tipo de atividades. Ainda nesta valência propomos adquirir uma carrinha de 9 lugares de transporte de crianças com tamanho L2 (ligeiramente maior) de forma a facilitar o transporte dos materiais entre os dois concelhos onde será implementado o projeto. É necessário ainda a aquisição de material de som para a promoção de eventos e pequenas demonstrações nos bairros, para a promoção do projeto localmente de forma a aumentar a adesão das crianças no projeto. Finalmente propomos ainda a aquisição de material de merchandising, (thirts e sweats), o pagamento dos seguros (grupos) para as atividades e maillots para um espetáculo final do projeto a realizar na Praça do Povo de forma a mostrar à população o trabalho desenvolvido ao fim de duas épocas de GINÁSTICA INCLUSIVA.
OPRAM522 - Requalificação da Sede do Clube Naval do Seixal.
Área Temática
Desporto
Âmbito
Municipal
Município(s)
Porto Moniz
Orçamento (€)
80.000,00
760 Votos
Desporto
O objetivo da proposta visa requalificar a sede do Clube Naval do Seixal, e dotá-la de mais valências. Neste momento, fruto do trabalho que o clube tem vindo a desenvolver na área das atividades de natureza, cada vez mais são os turistas/praticantes que visitam o clube à procura de informação, quer para a prática das atividades de montanha (canyoning, mountain bike, trail running e pedestrianismo), quer para a prática das atividades náuticas (Stand Up Paddle, Canoagem, Surf e Boat Trips). Uma das valências a desenvolver, seria a criação de um posto turístico de informação Outdoor, de forma a promover e a potenciar este nicho de mercado na costa norte. Outra das valências passaria pela dotação da infraestrutura com espaços de trabalho, atividades, eventos, com o intuito de atrair os nómadas digitais, ou seja desenvolver o conceito de um espaço eco-friendly. Esta é uma proposta que visa potenciar os recursos já existentes, melhorando a sua imagem, tornando-os mais atrativos, dotando-os de mais recursos de forma a dar resposta aos novos desafios, e a gerar mais valias em termos sociais, ambientais e económicos. Em termos de requalificação, os trabalhos a desenvolver passam pela recuperação da infraestrutura, em termos de isolamento da cobertura, de pintura, colocação de decks nas zonas de circulação, mobiliário, e aquisição de equipamentos desportivos para a prática das atividades.
OPRAM428 - Projeto gerontológico de apoio à população sénior da Freguesia de Câmara de Lobos
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Câmara de Lobos
Orçamento (€)
142.233,10
756 Votos
Inclusão Social
A anteproposta intitulada “Projeto gerontológico de apoio à população sénior da Freguesia de Câmara de Lobos” tem por base o projeto denominado “+ LAÇOS”, no qual sou voluntária. Assente inicialmente numa iniciativa de voluntariado de proximidade direcionada para a população idosa dependente e/ou carenciada da freguesia de Câmara de Lobos, este projeto, da responsabilidade da Junta de Freguesia de Câmara de Lobos apresenta atualmente quatro valências que se interligam e que se complementam, indo de encontro às necessidades dos idosos da freguesia, sendo elas “Voluntariado e Apoio Social”, “Banco de Ajudas Técnicas de Apoio à Mobilização e Marcha”, “Cuidar Mais” e “Partilha de Laços”. O projeto “+ Laços” teve o seu início em 2014 com base numa parceria entre a Junta de Freguesia de Câmara de Lobos e a Associação Casa do Voluntário com o propósito de fomentar a criação de laços de diálogo e amizade com os idosos da freguesia. A essência do projeto era reforçar a socialização bem como combater o isolamento social. Esta iniciativa surgiu como forma de colmatar uma necessidade social verificada a nível dos idosos da freguesia de Câmara de Lobos que, vivendo muitas vezes sozinhos ou com o cônjuge, ambos se encontravam em situação idêntica de dependência e solidão. O projeto “+Laços” tem na sua génese o “Voluntariado e Apoio Social”. Os mais de 15 voluntários desempenham várias funções junto dos inúmeros idosos apoiados que vão desde ouvir as suas preocupações, fazer uma caminhada, ler um livro, acompanhar o idoso na consulta ao médico, ajudar na organização da medicação, efetuar as compras, entre outras. Além de ser voluntária, desempenho também as funções de coordenadora e conto com uma equipa técnica que faz a sinalização e o levantamento das necessidades básicas para o conforto e bem-estar dos respetivos idosos. Perante as diversas incapacidades e limitações identificadas nos idosos foi criado, em 2019, um “Banco de Ajudas Técnicas de Apoio à Mobilização e Marcha”, tendo sido adquirido material ortopédico e geriátrico para ir ao encontro das carências desta população. Neste momento estão distribuídas 36 camas articuladas elétricas, 14 cadeiras de rodas, além de canadianas, bengalas, andarilhos, quadripés, tripés, entre outro material. Estes equipamentos encontram-se disponíveis para serem cedidos de forma temporária à população, podendo ser requisitados através das diferentes entidades parceiras do projeto, sabendo que a reutilização e partilha de equipamentos é uma das formas mais eficazes de diminuir a produção de novos resíduos, permitindo ao mesmo tempo um maior acesso por parte da população a equipamentos que são imprescindíveis para o seu bem-estar e conforto. A valência mais recente do projeto “+ Laços” é o “Cuidar Mais” que disponibiliza um serviço de fisioterapia e surge em consequência do trabalho realizado junto dos idosos através das duas valências iniciais. As mesmas constataram a necessidade de abarcar uma vertente mais técnica, como a fisioterapia, para trabalhar com os idosos que apresentam mobilidade mais reduzida, alguns deles acamados, com o objetivo de melhorar a sua qualidade de vida. Estão a ser acompanhados 26 utentes a quem são disponibilizadas sessões de fisioterapia, por um técnico habilitado. Já para a população idosa ativa ou com algum grau de invalidez existe a valência “Partilha de Laços” que disponibiliza atividades ocupacionais. Os 40 utentes inscritos têm à sua disposição propostas de atividades, destacando-se os trabalhos manuais com a utilização de material reciclado no âmbito da política dos três R’s, realização de jogos tradicionais, jogos cognitivos, sessões de esclarecimento sobre a alimentação, importância das vacinas e cuidados de saúde entre outros temas de interesse contemplam a ação no “Partilha de Laços”. Todos os meses há uma saída cultural que pode incluir visita a um museu, um jardim ou fazer uma caminhada, assim como uma sessão de ginástica/fisioterapia coletiva. Tendo em conta o projeto explanado e como forma de melhorar e reforçar os serviços disponibilizados, a anteproposta assenta em quatro pilares fundamentais que estão relacionados com as valências descritas. No âmbito da valência “Voluntariado e Apoio Social” pretendemos adquirir uma carrinha de 9 lugares de transporte de passageiros com mobilidade reduzida (TPMR) uma vez que surge da necessidade de criar uma resposta para a população com deficiência e/ou incapacidade ao nível da freguesia. O transporte é uma grande dificuldade e um enorme desafio, principalmente para os que apresentam mobilidade reduzida e/ou se deslocam em cadeira de rodas, na freguesia. Existe a necessidade de adquirir uma carrinha adaptada para transportar estas pessoas para as mais diversas atividades. Promover a igualdade de direitos e oportunidades das pessoas com deficiência e/ou incapacidade, nomeadamente no acesso aos transportes torna-se assim imperativo. Ao adquirir a carrinha TPMR todas as pessoas com deficiência e/ou incapacidade da freguesia, poderão usufruir de um transporte adaptado à sua condição. Terá certamente um grande impacto pois com uma carrinha adaptada ao transporte das mesmas será mais confortável (sem necessidade de transferências para veículos desadequados) e a tendência de isolamento que estas pessoas apresentam devido às dificuldades de deslocação será combatida, fatores estes que contribuirão igualmente para a melhoria da qualidade de vida destas pessoas. (anexo 1). Enquanto resposta social inovadora, específica e facilitadora da vida diária das pessoas idosas e/ou portadoras de incapacidade motora, assim como das suas famílias, o “Banco de Ajudas Técnicas de Apoio à Mobilização e Marcha” visa reduzir as consequências do aparecimento de incapacidades motoras ou melhorar a qualidade do apoio prestado à pessoa. Numa perspetiva de complementaridade às respostas de intervenção social e comunitária, nomeadamente nas áreas de apoio à população idosa e cidadãos portadores de deficiência, a junta de freguesia, enquanto poder local, promove um trabalho em rede com as mais diversas instituições responsáveis e parceiras do projeto, procurando reforçar um serviço especializado na área das ajudas técnicas, aumentando, por essa via, os recursos disponíveis. Tendo em conta as inúmeras solicitações e listas de espera existentes, este reforço de material e equipamentos visa suprimir a grande procura existente com o objetivo de atenuar as consequências da falta de mobilidade, deficiência e/ou incapacidade e visam proporcionar à pessoa ou cuidador a possibilidade de realizarem as tarefas quotidianas, com a maior normalidade possível. (anexo 2) A valência “Cuidar Mais” assume um papel imprescindível na atenção primária ao idoso, pois auxilia tanto na prevenção das doenças causadas pelo envelhecimento como na promoção da sua independência e qualidade de vida. Preserva a função motora e retarda a instalação de possíveis incapacidades próprias do processo de envelhecimento e trata de dificuldades, alterações e sintomas que já tenham atingido o seu organismo. (anexo3). Relativamente à valência “Partilha de Laços” temos por objetivo dotar a mesma de material informático que possa suportar o desenvolvimento das inúmeras atividades que desenvolvemos (anexo 4).
OPRAM491 - Desporto em Movimento
Área Temática
Desporto
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
54.000,00
720 Votos
Desporto
O Clube Desportivo Mar e Serra conta com as seguintes modalidades: Basquetebol, Traill Running, Atletismo, Futebol, Pesca Desportiva, Judo, Taekwondoo, Orientação, Patinagem de Velocidade e Capoeira. São mais de 500 atletas que fazem parte desta família desportiva! Iniciou a sua atividade no ano de 2016 com a Pesca Desportiva, Andebol, Patinagem de Velocidade, Judo e Futebol não federados. De seguida surgiram outras modalidades. No Basquetebol, nas épocas 2017/18, 2018/19 e 2019/20, foi o clube com mais atletas inscritos na Associação de Basquetebol da Madeira. Esta modalidade continua a crescer. Neste momento tem equipas de Mini 8 mistos, Mini 10 M e F, Mini 12 M e F, sub 14 M e F, sub 16 M, sub 19 F e Séniores M. Os escalões de minibasquete são os mais representativos o que permite apresentar várias equipas do mesmo escalão. Tendo em conta que a grande maioria dos atletas são dos escalões de formação (cerca de 200), o clube tem um papel social de relevo. De referir que, para além da vertente desportiva, a vertente social e de inclusão está presente nas metas do clube, tendo assim já trabalhado um núcleo de andebol que incluía atletas surdos, atualmente inativo por falta de espaço. Também realiza Campo de Férias de Verão para apoio às famílias e está integrado em projetos do Programa Erasmus +. O Clube tem tido participações no Campeonato Nacional de Pesca Desportiva, sendo um dos mais representativos da Região. Dado o rápido crescimento do clube, o mesmo tem conseguido dotar-se de algumas infraestruturas de apoio, tendo inaugurado a sua sede, no antigo edf. da Direção de Florestas, na Estrada Comandante Camacho de Freitas nº. 308, no ano de 2019. Neste espaço já contamos com sala de troféus, de reuniões e ginásio. Deste modo e em virtude de uma necessidade imensa devido ao rápido crescimento e ao facto de termos atletas de vários concelhos da Região, desde o Funchal, Caniço, Ribeira Brava, etc, e termos necessidade de deslocar os nossos atletas da Pesca Desportiva, bem como o seu material, para os diferentes concelhos da RAM, incluindo o Porto Santo, torna-se primordial a aquisição de uma CARRINHA de 9 lugares de apoio às diversas modalidades.
OPRAM523 - Aquisição de carrinha de apoio à atividade desportiva do Clube Naval do Seixal
Área Temática
Desporto
Âmbito
Municipal
Município(s)
Porto Moniz
Orçamento (€)
49.000,00
712 Votos
Desporto
O Clube Naval do Seixal promove o desenvolvimento de várias modalidades de cariz desportivo e lazer, tais como, Canoagem, Stand Up Paddle, Natação, Vela, Karaté, Ciclismo, Trail Running, Canyoning e Pedestrianismo. Neste momento apenas dispomos de uma carrinha de apoio a todas estas atividades, limitando um pouco a nossa ação. Esta proposta visa dar mais condições e soluções de transporte para os nossos atletas.
OPRAM437 - Uma carrinha para a Casa do Povo do Caniçal
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Machico
Orçamento (€)
40.498,71
709 Votos
Inclusão Social
O Caniçal é uma vila piscatória, com uma população essencialmente jovem, contudo, conta com uma população mais idosa. Nesse sentido, e com enfase na temática da inclusão social, a anteproposta que apresento é direcionada para a generalidade da população do Caniçal. É uma proposta de aquisição de uma viatura, uma carrinha de 9 lugares, para ser utilizada pela Casa do Povo do Caniçal. O objetivo da aquisição desta carrinha será o transporte de idosos diariamente para o centro de dia, onde realizam as suas atividades de entretenimento. Temos conhecimento que existem muitos idosos que não se deslocam para o centro de dia por falta de transporte. Outra utilização da viatura seria o transporte dos elementos do Grupo de Folclore da Casa do Povo do Caniçal, para as suas atuações por toda a ilha da Madeira. Esta aquisição irá também beneficiar a equipa de futsal da mesma Casa do Povo, nas deslocações para os jogos. O objetivo seria beneficiar todas as faixas etárias da população e, sem esquecer os jovens e crianças, a carrinha seria também usada para intercâmbios entre jovens da Casa do Povo do Caniçal e outras casas do povo espalhadas pela ilha, assim como, na possibilidade de no verão a casa do povo efetuar atividades de ocupação dos tempos livres, a carrinha levaria as crianças para as atividades planeadas, dentro e fora da freguesia. Outra mais valia que esta viatura traria para a nossa freguesia, seria o apoio às escolas, no transporte das crianças e jovens para algumas atividades, quer sejam elas de visita ao museu, ou deslocações entre instituições da freguesia ou mesmo entre a escola e outros pontos do Caniçal. Esta aquisição seria uma mais valia para a freguesia do Caniçal, pois beneficiaria toda a população.
OPRAM483 - Iluminação LED para Complexo Clube Futebol Andorinha
Área Temática
Mobilidade e Desenvolvimento Sustentável
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
47.209,22
690 Votos
Mobilidade e Desenvolvimento Sustentável
O Clube Futebol Andorinha tem um sistema de iluminação com quase 20 anos, completamente obsoleto e ineficaz. No campo principal 6 postes de iluminação de 18 metros de altura, cada um com 2 focos de 2.000 wats ou seja. 4.000 wats por poste. Perfazendo um total de 24.000 Wats. No campo de 7, tem 4 postes de 12 metros com 8 focos, no total de 8.000 wats. As caixas exteriores com balastros antigos e instalação velha e perigosa. O Clube tem um gasto elevado na energia eléctrica todos os meses e pretende tornar as instalações mais eficazes em termos de consumos, instalando lâmpadas LED em todos os postes Neste momento para o Clube aumentar a potência contratada de forma a conseguir ligar todos os focos em simultâneo, teria de fazer um investimento de mais de 20.000 euros na substituição do PT(Posto de Transformação), quadro geral, caixas existentes no campo e ligações. Com o sistema LED, anulam-se as caixas existentes, sistema de balastro e tudo resto é aproveitável, não sendo necessário substituir quadro geral ou mexer no PT, pois a potencia exigida pelos LED é muito menor. Serão montados no campo principal 22 focos LED de 400 Wats cada, perfazendo um total de 8.800 Wats, muito inferior e muito mais económico do que os 24.000 wats existentes e reduzindo o consumo eléctrico em cerca de 70%. No campo Dinis Aveiro, campo de 7, serão montados 8 focos LED, perfazendo um total de 3.600 wats, muito inferior e muito mais económico do que os 8.000 wats existentes e reduzindo o consumo na mesma proporção. Referir também que cada lâmpada para os focos actuais custa cerca de 1500 euros cada e têm um tempo médio de vida muito inferior aos LED e já é muito difícil encontar este tipo de lâmpada com ignitor no mercado. Todos os focos são montados numa altura inferior aos actuais, pois não necessitam de estar tão altos, o que vai ajudar o Clube quando for para manutenção ou substituição, pois não é necessário alugar um carro grua para esse trabalho, reduzindo os custos para o Clube. Obrigado Com os melhores cumprimentos Duarte Santos
OPRAM350 - Carrinhas Clube do Porto Moniz
Área Temática
Desporto
Âmbito
Municipal
Município(s)
Porto Moniz
Orçamento (€)
193.000,00
681 Votos
Desporto
Tendo o Clube desportivo e cultural do Porto Moniz 283 atletas federados nas modalidades de futsal, pesca desportiva, trail, pesca submarina, bilhar e patinagem de velocidade. Neste momento o clube possui 5 carrinhas em fim de vida quase todas com mais de meio milhão de quilómetros, proponho a aquisição de 3 carrinhas para transporte dos atletas para a prática de desporto pela Madeira toda com mais conforto e segurança no valor de 78.400€(18 lugares), 57.800€(9lugares) e 57.800€(9lugares) totalizando 193.000€.
OPRAM496 - Criação de um espaço museológico na Escola Secundária de Francisco Franco
Área Temática
Educação
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
68.000,00
672 Votos
Educação
A presente proposta tem como objetivo a reabilitação da antiga oficina de mecânica e salas anexas para a criação de um espaço museológico alusivo à história da Escola Industrial e Comercial do Funchal, denominada desde 1979 por Escola Secundária de Francisco Franco. Durante décadas, esta instituição preparou e formou homens e mulheres que atualmente são profissionais de reconhecido mérito nas mais diversas áreas. Beneficiando da oportunidade do OPRAM-2021, pretendemos com esta candidatura potencializar um espaço de memória (cultural), mas simultaneamente educativo, interventivo, dinâmico e que constituirá uma mais-valia para toda a comunidade. A Escola Secundária de Francisco Franco possui um importante espólio cultural e tecnológico. Este patenteia as numerosas práticas pedagógicas adotadas ao longo de décadas no ensino comercial, industrial (eletricidade, mecânica e construção civil) e artístico contribuindo assim para a história da Educação na Região Autónoma da Madeira. Neste espaço museológico criaremos uma área e/ou perímetro “expositivo e cenográfico”, repleto de máquinas, mobiliário, objetos e documentos organizados por proveniências e correlações, que preserve, arquive e mostre às novas gerações o património que testemunha o passado do ensino industrial e comercial na Região, até aqui desconhecido. Urge cuidar, dignificar, preservar e expor publicamente este acervo tão vasto e valioso em termos históricos e identitários, uma vez que constitui uma verdadeira herança cultural da Região.
OPRAM508 - Aquisição de uma viatura para pessoas com mobilidade reduzida para a Associação Santana Cidade Solidária (ASCS)
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Santana
Orçamento (€)
83.862,80
615 Votos
Inclusão Social
É a única instituição no concelho com valências de estrutura residencial para idosos sendo (58 utentes) e centro de dia (30 utentes), e ajudas domiciliarias cerca de (70 utentes) desenvolve a sua intervenção na área social, através de respostas e serviços adequados às necessidades da nossa comunidade promovendo o seu bem-estar e qualidade de vida. Através do estabelecimento de parcerias/acordos de cooperação, acolhe um conjunto de valências que vão desde o emprego ao apoio social aos mais carenciados e idosos do concelho. Procura também ser uma resposta efetiva aos seus utentes, sinalizando e encaminhando as diversas situações aos serviços competentes, pretende destacar-se como uma IPSS de referência, reconhecida no concelho e na Região pelo carácter inovador da sua intervenção e pela abrangência de serviços de apoio à comunidade. Neste momento a média de idades, dos idosos em estrutura residencial, é de 82 anos, todos eles com algum grau de dependência, onde cerca de 72% são totalmente dependentes nas suas atividades de vida diárias. Mais de 55% dos utentes que frequentam as outras valências possuem também alguns graus de dependência relativamente à sua mobilidade, possuindo auxiliares de marcha (andarilhos, bengalas e cadeiras de rodas) para conseguirem deslocar-se. A instituição possui uma carrinha de 9 lugares sem qualquer adaptação a pessoas com mobilidade reduzida. Esta viatura dá resposta, essencialmente, aos utentes que se encontram em centro de convívio e assegura o transporte para a instituição e para o domicílio. No dia a dia desta instituição, é cada vez mais difícil transportar os idosos devido às suas limitações físicas. Quando planeiam uma atividade ao ar livre não é possível levar todos devido às suas limitações. Quando um idoso necessita deslocar-se ao centro de saúde para uma consulta é necessário requisitar a ambulância para fazer o seu transporte. Esta situação causa alguns constrangimentos pois provoca desigualdades no acesso às atividades desenvolvidas pela instituição. Será importante referir que não existe nenhum veículo coletivo, adaptado, para pessoas com mobilidade reduzida, o que, é deveras constrangedor, onde se promove o turismo de saúde bem estar e onde a questão dos acessos, iguais para todos, deve ser um requisito de elevada relevância A aquisição de uma viatura desta natureza melhorava, sem dúvida, a qualidade de vida destes utentes, possibilitando à instituição uma maior autonomia na deslocação dos mesmos evitando que estes estejam circunscritos ao espaço residencial. Pensando nas necessidades da população em geral e no turismo, esta carrinha, poderia também, mediante a criação de protocolos interinstitucionais, dar respostas à necessidades da nossa população residente e turistas com mobilidade reduzida. As inúmeras solicitações de transportes para atividades programadas pela instituição como também para cuidados de saúde primaria, ausência deste meio transporte, provoca desigualdades no acesso as pessoas que possuem alguns graus de dependência relativamente à sua mobilidade, deixando-as por muitas vezes isoladas em suas residências; Resumidamente, a aquisição deste veículo teria como principais objetivos: • Deslocação dos idosos com mobilidade reduzida para o exterior da instituição para atividades lúdicas ou para consultas médicas; • Transportar pessoas com mobilidade reduzida, que estão nos seus domicílios, de forma segura e confortável possibilitando a sua deslocação para onde pretenderem, mediante as suas necessidades; • Estabelecer protocolos interinstitucionais que permitam a rentabilização desta viatura, mediante as necessidades identificadas. •Assegurar as condições de bem-estar dos utentes e o respeito pela sua dignidade através da prestação de serviços eficientes adequados, promovendo a sua participação na vida da Instituição; •Proporcionar serviços permanentes a adequados à problemática das pessoas idosas, com mobilidade reduzida; • À satisfação das necessidades dos residentes, tendo em vista favorecer o sentimento de segurança e de bem-estar, com respeito pela sua independências, individualidade e privacidade; •Realizar atividades que visem contribuir para um clima de relacionamento saudável entre residentes; •Promover as relações familiares e as ligações à comunidade;
OPRAM548 - Aquisição de um Bote de Apoio às Atividades Náuticas na Escola de Mar - Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos do Caniço
Área Temática
Educação
Âmbito
Municipal
Município(s)
Santa Cruz
Orçamento (€)
12.000,00
608 Votos
Educação
A Escola de Mar é um Projeto da Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos do Caniço, ativo desde 2018, com o objetivo de proporcionar aos alunos da Escola diversas atividades náuticas, de sensibilização ambiental e conservação da natureza. As atividades da Escola de Mar são realizadas na Praia dos Reis Magos, Município de Santa Cruz, durante o período letivo escolar, de segunda a sexta-feira, no horário escolar. A Escola de Mar recebe diariamente, aproximadamente 40 alunos, o que equivale a várias turmas da Escola Básica do 2.º e 3.º Ciclos do Caniço. Os alunos têm oportunidade de experienciar atividades náuticas, desde Stand Up Paddle, Canoagem, Snorkeling e Windsurf. A aquisição de um bote de apoio torna-se um ponto fulcral para a prática de atividades náuticas, para que os professores da atividade possam acompanhar os alunos de forma mais rápida e segura, proporcionando o auxílio mais eficaz.
OPRAM399 - Câmara de Lobos faz-te ao Mar
Área Temática
Desporto
Âmbito
Municipal
Município(s)
Câmara de Lobos
Orçamento (€)
50.000,00
598 Votos
Desporto
A Associação Náutica de Câmara de Lobos, pauta a sua atuação: a nível Social, Escolar e Federado, para os quais estabelece objetivos e atividades. A área social visa desenvolver atividades de fomento das atividades de lazer. O objetivo primordial é levar o desporto a toda a comunidade “mente sã, em corpo são”. A área escolar pretende proporcionar à “escola” uma prática desportiva diversificada, com o apoio direto da Autarquia e das Escolas. Os destinatários são as escolas do 2º e 3º Ciclo do ensino Básico e Secundário de Câmara de Lobos. Na área desportiva (Federada) o objetivo é levar para o clube a excelência, incrementando o desempenho desportivo. Procuramos garantir condições para que as modalidades disponham de instalações próprias e valorizar sempre o desenvolvimento harmonioso do atleta. Além disso tem também como objetivo fundamental preparar os atletas dentro duma ótica de lazer e criar mecanismos de fixação dos mais aptos no sentido de os direcionar para a competição desportiva, visando a seleção de uma elite desportiva. No âmbito geral tem como objetivos: • Enfatizar a participação massiva da população nas atividades Náuticas programadas, garantindo o seu acesso em igualdade de condições e oportunidades; • Promover as atividades Náuticas, de modo a preencher de uma forma correta e válida os tempos livres da população. • Formular, incentivar, apoiar e executar programas de atividade Náuticas para as crianças e jovens, para a terceira idade, para os carenciados, e sectores sociais mais necessitados de modo a que tenham maiores facilidades e oportunidades no acesso à atividade física e desportiva; • Aliar os desportos Náuticos a atividades de âmbito sociocultural e educacional. • Desenvolver e /ou colaborar no desenvolvimento de programas de investigação (UMA), relacionados com as atividades Náuticas; • Aumentar o número de praticantes das Atividades Náuticas. • Valorizar a interação da Associação Náutica de Câmara de Lobos com o meio, educar para os valores, melhorar as relações interpessoais e envolver as famílias na vida do clube e na educação dos seus filhos. • Fomentar a atividade no âmbito do desporto escolar, através de Protocolo com a Escola do Carmo em Câmara de Lobos. Neste última época desportiva, a Associação Naútica de Câmara de Lobos contou com 77 atletas na modalidade de Canoagem e 14 atletas na sua escola de Stand Up Padel. Numa região com forte ligação ao mar, considera-se uma grande mais-valia a realização de atividades de índole náutica que aproveitem o potencial náutico e que utilizem o mar como meio de contato com a natureza, promoção da ilha ao nível de turismo e ao nível da qualidade de vida dos seus habitantes. As atividades ligadas à canoagem, são um excelente meio de promoção da atividade-física em contato com a natureza e de aquisição de conhecimentos sobre os assuntos do mar. Devido aos fracos recursos financeiros tanto por parte da Associação Náutica como por parte dos encarregados de educação dos seus atletas, surge a necessidade de apetrechar a Associação Náutica de Câmara de Lobos de recursos materiais de forma a responder aos desafios colocados à Associação Náutica. Com a aquisição deste material será ainda possível a Associação Náutica se abrir ao exterior, a nível de financiamento privado, uma vez que a baixa da freguesia de Câmara de Lobos conta com novos investimentos hoteleiros, podendo a Associação promover atividades náuticas aos turistas que visitam a linda baía de Câmara de Lobos.
OPRAM429 - Carrinha Social
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
Funchal
Orçamento (€)
81.038,56
566 Votos
Inclusão Social
Fica na freguesia do Imaculado Coração de Maria um dos poucos sítios da cidade do Funchal em que os cidadãos não beneficiam de transporte público. A orografia daquela localidade e a exiguidade das artérias existentes impedem esse desiderato. Todos os dias, os residentes nas Lajes, desde os mais jovens aos mais idosos, quer faça chuva ou faça sol, são obrigados a percorrer mais de trezentos sinuosos metros de estrada, em sentido ascendente ou descendente, com elevado declive, para poder aceder a um transporte público ou para regressar às suas casas. Os mais jovens fazem-nos muitas vezes bem cedo, de forma a cumprir os seus horários escolares. E se é verdade que a destreza física é maior, fazê-lo de mochila às costas, aumenta a dureza do desafio. Bem mais complicado é para os mais idosos, que muito se arriscam e sofrem para poder realizar tarefas tão rotineiras e necessárias como ir às compras ou até ir à farmácia. Desde que a Rua das Lajes foi inaugurada, há mais de 40 anos, que os seus residentes anseiam por uma solução para este problema. . A Carrinha Social do Imaculado Coração de Maria, uma carrinha de 9 lugares, elétrica, adaptada à exiguidade da Rua das Lajes, é a solução, no âmbito da mobilidade sustentável e da desejada inclusão social, para um problema com quase meia centena de anos. A criação de um roteiro diário, regular ou por marcação, de entrada e saída nas Lajes resolverá este problema, deixando ainda margem para que o projeto da carrinha social do Imaculado tenha ainda uma outra componente: um transporte de proximidade, dentro da freguesia, disponível para moradores e entidades coletivas sem fins lucrativos.
OPRAM398 - De carro vamos mais felizes
Área Temática
Inclusão Social
Âmbito
Municipal
Município(s)
São Vicente
Orçamento (€)
37.827,10
529 Votos
Inclusão Social
Este projeto pretende adquirir uma nova viatura para o C.A.C.I. de São Vicente, com adaptação de acesso a pessoas de mobilidade reduzida. O C.A.C.I. de São Vicente, integra em conjunto com os restantes Centros de Atividades a Unidade de Coordenação dos Centros de Atividades Ocupacionais. O C.A.C.I. é um equipamento destinado a desenvolver atividades ocupacionais para pessoas com deficiência, visando a promoção da sua qualidade de vida, possibilitando um maior acesso à comunidade, aos seus recursos e atividades e que se constituam como um meio de capacitação para a inclusão, em função das respetivas necessidades, capacidades e níveis de funcionalidade. Atualmente o C.A.C.I. São Vicente apoia 20 utentes entre jovens e adultos com deficiência e outras comorbilidades, com idades compreendidas entre os 18 e 61 anos. o C.A.C.I. é uma resposta social de base comunitária, com uma regulamentação centrada em novos desafios, como a promoção da autonomia, da vida independente, da qualidade de vida, da valorização pessoal, profissional e da inclusão social, que assume como prioridade a valorização pessoal e a inclusão social e profissional das pessoas com deficiência e incapacidade, valores que concorrem para o exercício da sua plena cidadania. A ocupação é encarada como um processo e instrumento de capacitação, formação e de desenvolvimento de competências da pessoa com deficiência e incapacidade com vista à sua autonomia, numa ótica de inclusão social. O modelo de atividades e serviços são centrados em facilitar e mediar percursos de aprendizagem e de inclusão, que possibilitem um maior acesso à comunidade, aos seus recursos e atividades e com a perspetiva que as atividades ocupacionais não são um fim em si mesmas, mas antes, e tanto quanto possível, um meio de capacitação para a inclusão, uma resposta que capacita e maximiza as possibilidades e oportunidades de participação social e económica das pessoas com deficiência, e que incorpora na sua génese as necessidades das pessoas com deficiência e incapacidade diferenciados, que exigem respostas diferenciadas, mais exigentes do ponto de vista das qualificações e aprendizagens e mais capacitantes do ponto de vista dos processos de autonomização e inclusão. O transporte deste centro avariou. A ADENORMA disponibiliza apoio temporário emprestando uma viatura, para que este trabalho não pare e que aqueles que dele beneficiam se sintam mais felizes, integrados e apoiados.